10/03/2014

Sabes que é errado. Que ele não vale a pena. Mas mesmo assim não consegues evitar pensar nele, porque pequenos momentos do teu dia te lembram de algo que fizeram juntos, porque alguém te diz que o viu com a outra, ou porque ela insiste em perseguir-te. E dói. Porque a memória dele traz agarradas as de todos os outros. E custa. Porque achavas mesmo que ia ser para sempre, que iam ser uma família: tu, ele e o resto. Que iam passar sempre férias juntos, e beber até cair, e rir, e trocar prendas, e passar noites e madrugadas em casa uns dos outros. E choras. Porque vês todas as recordações que tens do grupo fantástico que foi. Vês filmes e fotografias, e choras. Porque apesar de saberes que é errado, que eles não são, nem nunca vão ser ninguém, já foram os alguéns mais importantes da tua vida.
Chega. Sabes que há coisas melhores. E não podes abdicar da tua felicidade para ficares agarrada a monstros do passado.
Agora aproveita! Aproveita o que chegou. O que parece que vai ficar. O que sabe quem tu és, de verdade. Sê feliz.

5 comentários:

  1. Oh, obrigada eu pelo comentário!
    Gostei de passar por aqui e ler o que escreveste :)

    ResponderEliminar
  2. "E não podes abdicar da tua felicidade para ficares agarrada a monstros do passado."esta é talvez, a maior verdade que precisava de ouvir agora. olha, um beijinho e parabéns pela tua escrita fulminante! vou seguir-te *

    ResponderEliminar